Plástico bolha

Plástico bolhaPlásticos bolhasComprar plástico bolha
Estas imagens foram obtidas de bancos de imagens públicas e disponível livremente na internet

PLÁSTICO BOLHA: PROTEÇÃO PARA AS MAIS VARIADAS MERCADORIAS

Quando um produto delicado (que tem chances de quebrar ou de ser danificado) chega em casa, é comum que ele venha embrulhado em uma camada de plástico, ou várias camadas, dependendo da fragilidade que apresenta. Esse plástico trata-se do plástico bolha, um dos materiais mais utilizados para este fim, nas mais variadas áreas.

Além da logística relacionada ao armazenamento e a movimentação de mercadorias, se atentar em relação à segurança das cargas no momento em que são transportadas é extremamente importante para que não exista perda de materiais ou outras adversidades indesejadas.

Quando se tratam de cargas mais delicadas, então, essa atenção deve ser redobrada. Para a movimentação e o transporte de diversos tipos de produtos, a utilização do plástico bolha é uma das mais comuns para garantir a segurança e integridade das mercadorias.

HISTÓRIA DO PRODUTO

Apesar de ser um material importante na logística de processos referentes ao transporte e o armazenamento de mercadorias, o plástico bolha não foi criado especificamente para este fim. Trata-se de um experimento voltado para a decoração que acabou dando errado.

Seus inventores estavam buscando fazer um papel de parede com textura, utilizando cortinas de chuveiro. Tentaram criar uma máquina que fosse capaz de produzir um papel de parede constituído de plástico usando um suporte de papel, mas, no entanto, as folhas que a máquina produziu acabou resultando em uma espécie de papel plástico com bolhas de ar. Como não chegaram na ideia inicial, acabaram dando uma nova função ao que produziram, direcionando o produto criar embalagens para proteger determinados objetos.

FORMAÇÃO

Trata-se de uma estrutura com bolhas de ar prensadas e seladas pelo filme constituído de um material denominado polietileno, um dos plásticos mais importantes e mais utilizados atualmente. Essa formação proporciona grande segurança para as mercadorias que nele são embalados, permitindo que a carga se mantenha intacta e protegida de possíveis impactos que podem ocorrer no caminho que percorrerá até chegar no local final.

BENEFÍCIOS DO MATERIAL

Se mostrando como um grande aliado para a segurança das mercadorias, o plástico bolha apresenta diversas vantagens e que, por causa delas, possui grande usabilidade nos mais variados meios. Algumas delas são:

  • Alta flexibilidade e leveza, podendo se moldar a qualquer formato e tamanho;
  • Reduz custos, pois substitui outros materiais como caixas de papelão, por exemplo;
  • Preserva as cargas;
  • Proteção contra batidas, choques e arranhões;
  • Atóxico e inodoro;
  • Reciclável;
  • Pode ser usado como embalagem externa e interna;
  • Transparente;
  • Fácil manuseio.

FLEXIBILIDADE

Independente do formato do produto ser redondo, quadrado ou de qualquer outro tipo, com certeza ele poderá ser envolto por uma ou várias camadas de plástico bolha. Caso seja necessário, é possível fazer dobras no material para que o embrulho seja melhor realizado. Para corta-lo, basta utilizar uma tesoura ou estilete para realizar a função e pronto, o objeto está seguro para ser enviado.

REDUÇÃO DE CUSTOS E BOM CUSTO-BENEFÍCIO

Como já se trata de uma ótima opção para assegurar a integridade das mercadorias, geralmente não se faz necessário utilizar outros materiais na embalagem. Isso colabora diminuindo custos relacionados à embalagem e, além disso, como é um material de extrema leveza, este fator também implica no frete, que não costuma aumentar.

Se comparado às caixas de papelão, por exemplo, o plástico bolha possui custo benefício muito melhor. Além dos fatores já citado, deve-se levar em conta que seu tamanho ajustável à carga faz com que o espaço nos transportes e no estoque seja melhor aproveitado, ajudando aumentar o volume de cargas por viagem e reduzindo, então, o custo relacionado aos fretes dos produtos.

SEGURANÇA CONFIRMADA

Como é formado pelo selamento de duas tiras de polietileno que fazem com que as bolhas de ar se formem em meio delas, o material garante segurança para as carga, protegendo-as de choques e vibrações que o transporte pode passar durante o trajeto a ser percorrido. O plástico bolha protege, ainda, de possíveis quebras, caso ocorram quedas dos objetos.

FACILIDADE DE USO

Trata-se de um item muito prático para ser utilizado. Basta cortar com uma tesoura a quantidade necessária para embalar o item que deseja e enrolá-lo com algumas camadas do plástico. Após certificar que a quantidade de camadas está realmente protegendo a mercadoria, basta prendê-lo com a ajuda de uma fita adesiva que seja aderente ao material. Como possui muita flexibilidade, é possível embalar qualquer tipo de produto com ele. Pode-se utilizá-lo, também, para preencher a embalagem com o produto no meio, utilizando-o de forma interna e externa.

RECICLÁVEL

Da mesma forma que a maioria dos outros materiais de embalagens que existem, este também é um material que pode ser reciclado quando sua vida útil chega ao fim. Como se trata de um material que não costuma sofrer muito desgaste, dependendo da forma que foi utilizado, é possível reutilizá-lo para fins que envolvam menos riscos. Mas atenção às bolhas de ar! Se muitas já estiverem estouradas, pode ser que o material não realizar sua função de forma completa. Neste caso, a melhor opção é descartá-lo para a reciclagem.

DIFERENTES TIPOS

Como pode ser utilizado para uma série de áreas e ramos diferentes, existem, no mercado, diversos tipos do material. Para uso em grande escala, sua comercialização costuma ser em grandes bobinas que, geralmente, possuem cerca de 100 metros lineares e um pouco mais de um metro de altura. O que define o tipo da bobina a ser comercializada é a gramatura dela, que é denominada Micras (ou grossura, como também pode ser chamada) da folha do plástico. São as micras que o deixam mais leve ou mais pesado.

Bolha 1: cerca de 30 micras, mais utilizado para proteções leves, pois é mais fraco.

Bolha 2: 45 micras, capaz de realizar proteções médias, possui uma capacidade intermediária.

Bolha padrão: geralmente composta de 60 a 80 micras, mais utilizadas para proteções pesadas.

Bolha grossa ou reforçada: acima de 100 micras, utilizada para proteções reforçadas, extras.

ONDE E COMO POSSO USAR O PLÁSTICO BOLHA PARA EMBALAR?

O plástico bolha é uma opção que não possui nenhum tipo de restrição relacionada ao seu uso. Aonde quer que o fabricante ou responsável pelo transporte perceba que existe a necessidade de proteção para a mercadoria, o plástico bolha pode ser utilizado.

As utilizações de plástico bolha para proteger peças caminha por diversas áreas, indo desde a indústria alimentícia até a eletrônica, moveleira, automobilística, metalúrgica e em supermercados. Em estabelecimentos menores seu uso também costuma ser comum, como para proteger peças de decoração como lustres e louças variadas, e outros tipos de mercadorias.

Apesar de não existirem regras relacionadas ao seu uso, é importante atentar-se ao ponto de que, dependendo do peso da carga, a embalagem desse tipo de plástico não costuma ser recomendada, a não ser que se trate de uma embalagem extra, associado a um outro tipo de proteção. isso conferirá mais segurança para os produtos.

A forma mais indicada de embalar é envolver o material a ser protegido com várias camadas de plástico bolha, atentando-se, principalmente, nos cantos e nas bordas do mesmo, que devem ser devidamente protegidos. Caso exista necessidade, uma boa dica é proteger os cantos antes de embrulhar com o plástico. DeSsa forma, a chances dele rasgar ficam quase que inexistentes.

USOS DO PLÁSTICO BOLHA

Seja para fins comerciais, industriais ou residenciais, o uso do plástico bolha é bastante comum e garante a boa integridade dos itens. Em uma mudança, por exemplo, o material pode ser usado para proteger pertences como:

  • Utensílios frágeis, como pratos, cerâmicas, copos e louças num geral.
  • Mobília, como cama, mesa e sofá.
  • Aparelhos eletrônicos, como televisão, notebooks e videogames.
  • Eletrodomésticos como fogão, geladeira e microondas.

Ainda nas residências, é possível utilizar o material para conservar vegetais e frutas frescos na geladeira. Para isso, basta utilizá-lo para forrar as gavetas que você os armazena, pois o plástico bolha tem capacidade de proteger a pele fina dos alimentos, como o tomate e o morango, por exemplo, evitando choques e contusões. Além de garantir a proteção, o material também colabora para o momento de limpar a geladeira: basta retirá-lo e trocar o usado, por outro novo.

O plástico bolha existe, ainda, no formato de envelope de plástico bolha. Ele foi desenvolvido a fim de ser uma opção segura e eficiente para que seja possível transportar diferentes tipos de produtos, sem ocupar espaço como uma caixa de papelão, por exemplo, o que ajuda no melhor aproveitamento de espaço. Caso o item a ser enviado pelo correio seja frágil ou muito sensível, esse produto consegue protegê-lo de impactos e riscos.

Pode-se encontrar um envelope de plástico bolha na cor normal, ou seja, transparente, mas também em opções coloridas e opções constituídas de papel em sua parte externa, o que pode garantir mais segurança no envio, dependendo do objeto que está em sua parte interna.

Além das utilidades já citadas, o material também possui uma característica importante: é um ótimo isolante térmico, o que favorece seu uso para manter alimentos com a temperatura conservada, seja ela quente ou gelada.

Em regiões de clima mais frio, por exemplo, existem moradores que costumam usar o material para fazer um isolamento térmico nas janelas e vidros da casas, fazendo com que o ambiente fique mais aquecido. Além disso, o plástico bolha também possui alta capacidade de isolamento acústico, fazendo com que os sons que entram ou saem do ambiente seja reduzido.

Devido à capacidade de isolamento térmico, o material também costuma ser utilizado na proteção de plantas, pois existem determinadas espécies que não se adaptam com facilidade à temperaturas mais baixas que podem ocorrer em determinadas localizações e períodos do ano. Ao envolvê-las com o plástico, cria-se um sistema de isolamento térmico, com temperatura mais amena.

O material é utilizado até mesmo na decoração de ambientes, de uma forma relativamente inusitada: para pintar paredes. Basta revestir o rolo de pintar paredes com as bolhas para fora, fixar as pontas com fita adesiva para que não se soltem, umedecer o rolo na tinta da cor desejada e passá-lo na superfície, criando uma textura diferenciada para sua parede.

COMO EMBALAR DE FORMA SEGURA?

Apesar da utilização do plástico bolha não ser difícil, é importante que ela seja realizada com a devida atenção, a fim de que o material consiga garantir e realizar, com eficiência, sua função, que é assegurar a integridade daquilo que está envolvendo. Algumas dicas relacionadas à um bom processo de embalagem são:

ANALISE O TAMANHO NECESSÁRIO

Antes de começar a usar o material ou cortá-lo, tente descobrir o tamanho que será necessário. Caso não seja possível mensurar uma quantidade exata para ser utilizada, a melhor opção é enrolar todo o produto e, depois de bem embrulhado, cortar o plástico bolha. Isso garante que toda a superfície do item esteja protegida.

Outro ponto que deve ser atentado se refere ao tamanho das bolhas de ar, pois existem opções que possuem bolhas maiores e, outras, menores. Isso influencia na absorção de impactos, por exemplo: para embrulhar produtos grandes como uma geladeira, indica-se a opção que possui bolhas maiores, pois conseguirão suportar mais peso. Já no caso de um aparelho celular, pode-se utilizar o modelo com bolhas menores.

Certifique-se de envolver bem o objeto

Para que esteja completamente segura, o ideal é que o produto seja totalmente envolvido no plástico bolha, sem que a embalagem fique com folgas. Confira se o material utilizado para embrulhar não possui emendas ou rasgos, pois isso também pode influenciar na qualidade da proteção, visto que ela pode ser afetada, além da possibilidade de quedas ou batidas, com a entrada de água ou de excesso de calor quando passa pelas movimentações de transporte e também de armazenamento.

Fixe com fita adesiva

Apesar de ser uma material extremamente prático, o plástico bolha ainda não possui um sistema exclusivo de vedação, o que faz com que seja necessário materiais para completar a embalagem. Indica-se, num geral, o uso de fitas adesivas, mas deve-se ter cuidado para aplicá-la, especialmente nas laterais dos objetos. Após finalizar o processo de embalagem, realize uma inspeção para garantir que tudo está devidamente embalado e seguro.

Plástico bolha

Receba cotações gratuitas das melhores empresas do setor agora mesmo!



produtos e serviços relacionados

Regiões onde a Loja de Embalagem atende Plástico bolha:

  • Selecione a região do Brasil

Regiões onde a Loja de Embalagem atende Plástico bolha:

  • Aclimação
  • Bela Vista
  • Bom Retiro
  • Brás
  • Cambuci
  • Centro
  • Consolação
  • Higienópolis
  • Glicério
  • Liberdade
  • Luz
  • Pari
  • República
  • Santa Cecília
  • Santa Efigênia
  • Vila Buarque
  • Brasilândia
  • Cachoeirinha
  • Casa Verde
  • Imirim
  • Jaçanã
  • Jardim São Paulo
  • Lauzane Paulista
  • Mandaqui
  • Santana
  • Tremembé
  • Tucuruvi
  • Vila Guilherme
  • Vila Gustavo
  • Vila Maria
  • Vila Medeiros
  • Água Branca
  • Bairro do Limão
  • Barra Funda
  • Alto da Lapa
  • Alto de Pinheiros
  • Butantã
  • Freguesia do Ó
  • Jaguaré
  • Jaraguá
  • Jardim Bonfiglioli
  • Lapa
  • Pacaembú
  • Perdizes
  • Perús
  • Pinheiros
  • Pirituba
  • Raposo Tavares
  • Rio Pequeno
  • São Domingos
  • Sumaré
  • Vila Leopoldina
  • Vila Sonia
  • Aeroporto
  • Água Funda
  • Brooklin
  • Campo Belo
  • Campo Grande
  • Campo Limpo
  • Capão Redondo
  • Cidade Ademar
  • Cidade Dutra
  • Cidade Jardim
  • Grajaú
  • Ibirapuera
  • Interlagos
  • Ipiranga
  • Itaim Bibi
  • Jabaquara
  • Jardim Ângela
  • Jardim América
  • Jardim Europa
  • Jardim Paulista
  • Jardim Paulistano
  • Jardim São Luiz
  • Jardins
  • Jockey Club
  • M'Boi Mirim
  • Moema
  • Morumbi
  • Parelheiros
  • Pedreira
  • Sacomã
  • Santo Amaro
  • Saúde
  • Socorro
  • Vila Andrade
  • Vila Mariana
  • Água Rasa
  • Anália Franco
  • Aricanduva
  • Artur Alvim
  • Belém
  • Cidade Patriarca
  • Cidade Tiradentes
  • Engenheiro Goulart
  • Ermelino Matarazzo
  • Guianazes
  • Itaim Paulista
  • Itaquera
  • Jardim Iguatemi
  • José Bonifácio
  • Moóca
  • Parque do Carmo
  • Parque São Lucas
  • Parque São Rafael
  • Penha
  • Ponte Rasa
  • São Mateus
  • São Miguel Paulista
  • Sapopemba
  • Tatuapé
  • Vila Carrão
  • Vila Curuçá
  • Vila Esperança
  • Vila Formosa
  • Vila Matilde
  • Vila Prudente
  • São Caetano do sul
  • São Bernardo do Campo
  • Santo André
  • Diadema
  • Guarulhos
  • Suzano
  • Ribeirão Pires
  • Mauá
  • Embu
  • Embu Guaçú
  • Embu das Artes
  • Itapecerica da Serra
  • Osasco
  • Barueri
  • Jandira
  • Cotia
  • Itapevi
  • Santana de Parnaíba
  • Caierias
  • Franco da Rocha
  • Taboão da Serra
  • Cajamar
  • Arujá
  • Alphaville
  • Mairiporã
  • ABC
  • ABCD
  • Bertioga
  • Cananéia
  • Caraguatatuba
  • Cubatão
  • Guarujá
  • Ilha Comprida
  • Iguape
  • Ilhabela
  • Itanhaém
  • Mongaguá
  • Riviera de São Lourenço
  • Santos
  • São Vicente
  • Praia Grande
  • Ubatuba
  • São Sebastião
  • Peruíbe